CURRICULO PESSOAL

Minha foto

M.Div
Ph.D Teologia
Psicanalista Clinico (estag)
Escritor - 21 livros publicados
Master-trainer PNL

Postagens populares

segunda-feira, fevereiro 21

APERFEIÇOANDO NOSSO CARÁCTER (Isaías 6:1-5)


APERFEIÇOANDO NOSSO CARÁCTER
(Isaías 6:1-5)

Deus como um Espírito infinito e exclusivamente sagrado, se deleita em santidade: como um Espírito sincero, Ele não pode ficar satisfeito com qualquer coisa que é falsa: como um ser  justa e amoroso, ele encontra na pessoa de Jesus Cristo, uma expiação que era, em todos forma honrosa à justiça, e uma revelação da graça de acordo com a boa vontade do amor divino, que é precioso para si mesmo além de toda expressão, e admirável a todas as criaturas sagradas além de toda bênção e louvor.
     Sempre que o grande Deus contempla o seu próprio Filho querido, ele sente um prazer intenso em nos entregar Seu próprio Filho mesmo vendo os seus sofrimentos. Você e eu, na medida em que temos sido ensinados por Deus, temos de encontrar prazer infinito e indizível na pessoa e obra de Cristo, mas, ai de mim, de nós,  como pessoas comuns que ao olhar para uma imagem sem um entendimento cultivado na arte da pintura, não podemos perceber toda a beleza, não sabemos a riqueza da sua coloração, e da habilidade extraordinária de todos os seus toques. Quem, senão o Senhor entende a santidade? Quem como Deus sabe o que significa um grande amor? Ou quem poderá compreender a justiça e a verdade para a perfeição? Por isso é que, como ele olha em cima dessa obra-prima incomparável do amor e da justiça, da verdade e santidade, encarnada na pessoa do seu Filho amado, Ele sabe  que nossa fé está constantemente lutando podermos perceber seu eterno plano de amor para com Sua Criação.


Não aceitar o primeiro presente de Deus (a Lei) é uma decisão de não escolher a Deus. E, essa decisão determinará como Ele lidará conosco. Não é apenas uma decisão pessoal, mas, uma decisão que O ofende.
Quando pecamos, seja qual for o pecado, estamos servindo a um ídolo. Estamos afrontando a Deus. O livro de Deuteronômio e o resto da Bíblia, referem-se a desobediência como falta de crença no Senhor. (Deuteronômio 1:32; 9:23). Você já havia pensado nisso?
Escolher amar o Senhor e guardar seus mandamentos significa escolher o caminho da vida.
Jesus enfatizou de forma incontestável que as Escrituras do Antigo testamento testificam  acerca dele. (Lucas 24:27). Jesus é aquele que cumpre o Antigo Testamento e apenas ele define a vida de Cristo. Nosso crescimento advém de nos tornarmos parecidos com Cristo Jesus e não com Abraão, Davi ou Daniel.
No Antigo Testamento Deus apresenta-nos sua paixão pela Santidade.
Se você não entender a mensagem do Antigo Testamento nunca entenderá Cristo. Nada substitui o Antigo Testamento na transmissão da grandiosidade da obra de Deus, da magnificência de seu plano e de seu amor. Prive-se do entendimento do Antigo  Testamento e Deus lhe parecerá, menos santo e menos amoroso do que ele é.
No Antigo Testamento Deus ensina o Amor mesmo em relação a seus inimigos. Ele é o “Deus misericordioso e piedoso, tardio em ira e grande em beneficência e verdade”. ( Êxodo 34:6).
Podemos ler passagem falando de Amor, que são citadas no Novo Testamento, como por exemplo: ”Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo coração e de toda a tua alma, e de todo o seu poder”(Deuteronômio 6:5). Também no A.T.  está o segundo mandamento “O estrangeiro que peregrina conosco, como a vós mesmo, amá-lo-eis”(Levíticos 19:34). Em Provérbios ordena: “Quando cair o teu inimigo não te alegres, nem quando tropeçar se regozije o teu coração. (24:17). Em Provérbios 25 ensina:”Se o que te aborrece tiver fome, dai-lhe pão para comer;e, se tiver sede, dai-lhe água para beber”.                                                                                                        
Vemos, no A.T., o Deus do Amor ao observar sua longanimidade em relação aqueles que declaram seu inimigo pela desobediência.
Ele não precisava deixar que a história da Humanidade continuasse depois da  Queda no Jardim do Éden, nem preservar a desobediente nação de Israel.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     
Perdoar e amar, se estes ensinos não se encontram no Antigo Testamento, então não conhecemos ainda a Jesus.
Pergunto-me às vezes: de onde advêm muitos de nossos problemas? Uma resposta sempre se repete: criamos esperança em coisas do mundo e que se afundam como água. Criamos esperança em coisas passageiras.
Qual é o propósito da vida? Muitos oram “Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na Terra como nos céus”. (Mateus 6;10). Mas, você já se perguntou o que isso representa? A maioria dos cristãos limita a Deus de poder realizar Sua obra, em nós, colocando ênfase em sua própria intelectualidade e força pessoal. Devemos nos virar para Deus e colocar nele, e, apenas nele todas as nossas esperanças.
Porque o Universo, eu e você existimos? Em última instância, “para glorificar a Deus”, como escrito pelo apóstolo João no livro de Apocalipse. Sei que alguns (sensacionalistas) pregam a mensagem apocalíptica como avassaladora induzindo ao medo acompanhado de musicas sugestivo de um dia de terror. No entanto o apocalipse é um livro de esperança, e de encorajamento maravilhoso para o povo de Deus. Ele apresenta a consumação da salvação. Por fim estamos em um local onde o Senhor mora e sob o seu governo em perfeita comunhão. O apocalipse é a mais bela mensagem de amor de deus para com seu povo escolhido. Os céus e a terra são recriados, e, a Igreja que enfrentou lutas se transforma em Igreja vitoriosa que descansa. (Apocalipse 21:1-4; 21:22; 22:5).
Amados irmãos em Cristo, o propósito da vida é conhecer a Deus a fim que possamos glorificá-Lo e deleitarmo-nos com ele para sempre. Conhecer a Deus é o cerne da vida cristã. Nossa maior fraqueza, como cristão é não conhecê-Lo de verdade e de forma mais íntima.
Os Salmos 42 e 43 são exemplo disso “Como suspira a corça pelas correntes de água, assim, por ti ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando irei e me verei perante a face de Deus?” Jesus disse: “E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro” (João 17:3). “Os verdadeiros homens e mulheres de fé são o povo que conhece ao seu Deus” ( Deuteronômio 11:32). Essa é a razão por que, no A. T., uma das bênçãos que esperavam para a era vindoura a ser inaugurada pelo Messias era que “os homens  e as mulheres conhecessem ao Senhor”.( Jeremias 31;34).   
Devemos nos empenhar em sermos semelhantes a Deus em Santidade. Cristo é o padrão de santidade para nós – o padrão  da humildade santa (Filipenses 2:5-13), compaixão santa (Marcos 1:41), perdão santo (Colossenses 3:13),altruísmo santo (Romanos 15:3), indignação santa contra o pecado (Mateus 2:5-13)   e oração santa (Hebreus 5:7).
Desenvolver a santidade, através do estudo  das Escrituras nos salva de muita hipocrisia e de um falso cristianismo.
J.C.Ryle disse: “Não é permitido a nós ler se nossos nomes estão  no Livro da Vida,mas, se há algo que serve de índice acerca dessa eleição é que os homens e mulheres eleitos serão distinguidos por vidas santas. A santidade é o lado visível da salvação. “pelos frutos os conhecereis” (Mateus 7:16).  E, no livro de Mateus está escrito:  “todas as coisas são puras para os puros;todavia,para os impuros e descrentes nada é puro” ( Tito 1:15).     A santidade manifesta-se em humildade e reverência  a Deus. Deus procura e usa pessoas humildes e reverentes. (Isaías 66:2).
Não há maior ilusão que aquela que as pessoas  não purificadas, não santificadas, que não buscam a santidade em suas vidas possam depois ser levados a um estado de benção,que consiste no gozo de Deus. Deus leva para o céu apenas aquele que Ele santifica na Terra. A santidade e o mundismo são opostos e, os que se apegam aos prazeres imediatos do mundo não estão preparados para o porvir.
A santidade é a marca, o selo de um caráter santo concedido a imagem e semelhança de Deus.   Esse selo envolve a formação da índole – pensamentos, sentimentos, motivação, atitudes, ações e até mesmo a vontade. A santidade como aplicada a Deus, é de separação, exaltação, perfeição absoluta do caráter.   Essa a visão que o profeta Isaías teve de Deus e que destaca essas qualidades:
“Eu vi o SENHOR assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo. Serafins estavam por cima d’Ele, cada um tinha seis asas. Com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava. E clamavam uns para os outros dizendo; Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos, toda a Terra está cheia da Sua glória. As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. Então disse: Ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de lábios impuros, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos”. (6:1-5) .
Entendamos alguns significados do texto:
*Um Serafim é, segundo a Angelologia, um anjo de seis asas.É comumente aceito como a primeira posição na hierarquia celestial dos anjos, sendo os que estão mais próximos de Deus. A palavra hebraica Saraf (שרף) significa "queimar" ou "incendiar", talvez uma alusão a tradições bíblicas onde Deus é comparado a um "fogo" ou mesmo a um "fogo consumidor.
*Cobriam o rosto... Sinal de respeito pela glória de Deus.
*Cobriam os pés ou o corpo... Sinal de modéstia.
*Moveram... Sinal de obediência imediata.
*Santo, Santo, Santo... Refere-se à plenitude de sua glória. (Apocalipse 4:8)

Certamente deus deseja que entendamos que Ele é santo e isto não significa que seja altivo. Ao contrário, ele odeia essa característica. (Provérbios 16:5; Tiago4: 6)

A expressão “Santo”, no hebraico, significa: separado. Separado para trabalho, exercício sagrado. Pessoa ou coisa destinada a servir no Altar. Significa isso que Deus está separado de nós, humanos imperfeitos? Não. “Exulta e jubila, ó habitante de Sião, porque grande é o Santo de Israel no meio de ti”. (Isaías 12:6). “Ele mora no meio do seu povo. Sua pureza é absoluta e infinita” (Salmos 40:5; 83:18). Deus está afastado de toda a pecaminosidade. Tudo o que está alienado de Deus é impuro, manchado. Todos têm de lutar contra o pecado. (Romanos 7:15-25);1 Coríntios 10:12).
Algumas vezes, Deus até mesmo jurou em nome de sua própria santidade, pois, nada poderia ser mais digno de confiança. “Jurou o SENHOR Deus pela sua santidade”. ( Amós4:2). Deus divide essa qualidade preciosa com todos nós de forma generosa. Deus quando falou a Moisés por meio de um anjo na sarça ardente, até mesmo o solo em volta tornou-se santo devido à ligação com Deus. (Êxodo 3:5).
Poderemos nós, seres imperfeitos nos tornarmos santos? Sim. (relativamente). Deus ofereceu a Israel à perspectiva de se “tornarem santos” (Êxodo 19:6). Ele abençoou essa nação com um sistema de adoração santa, limpo e puro. Uma tribo foi designada para ser de exemplo, a tribo de Levi. No A.T. o padrão de adoração (modo de viver) distinguia o povo com um elevado e único padrão de limpeza e pureza. ”Santos sereis, porque eu, vosso Deus, sou Santo”. (Levítico 19:2). Deus sempre alertou seus servos a se manterem separados dos adoradores pagãos e de suas contaminadas práticas religiosas de adoração. (Levítico 18:24;1Reis 11:1,2).
Milhões de criaturas espirituais servem fielmente a Deus. São chamadas de “santas miríades”. (Deuteronômio 33:2; Judas 14). Elas refletem com perfeição o brilho e a beleza da E, como lemos no texto de Isaías,o caráter dos serafins desempenham papel importante na divulgação da santidade de Deus.santidade de Deus. Jesus é o sublime reflexo da santidade do Pai. Jesus é conhecido como o “Santo de Deus” (João 6:68,69). Recorde a quem Jesus coloca como prioridade na oração: “Pai nosso, que estais nos céus, santificado seja o teu nome” (Mateus6: 9). Deus realiza tudo de maneira santa, pura e limpa, de modo que esse meio é chamado de ESPÍRITO SANTO, ou ESPÍRITO DA SANTIDADE. (Lucas 11:13; Romanos 1:4).
Lembre ainda a reação de Isaías: “Ai de mim...”. Qual seria sua reação se Deus lhe aparecesse em uma visão similar a de Isaías? Mas, o Serafim que consolou o profeta também consolaria você. Esse poderoso espírito voou até ao altar, apanhou ali uma brasa e, com ela, tocou os lábios de Isaías e lhe disse que poderia ter uma posição limpa diante de Deus.

O homem não evoluiu de outras espécies. Seu corpo foi criado por Deus do pó da terra, mas, a sua natureza espiritual foi divinamente inspirada. Assim, também, Cristo não evoluiu da humanidade. Ele foi criado pelo Espírito Santo de Deus no ventre de Maria (Lucas 2:35), ou seja, sendo divino, tornou-se humano(Filipenses 2:7), o Verbo se fez carne (João1:14) como homem,tendo reunido em si o divino e o humano. Paulo fez esta  distinção quando disse que Adão foi alma vivente, e Cristo, espírito vivificante ( 1Coríntios 15:45). Cristo é um só com o Pai em majestade e poder, por outro, elevou o homem a um novo nível de redenção. Tendo-o vivificado, tornou-o santo e trouxe-o de novo a comunhão com o Pai.
Cristo não se envergonha de chamar-nos irmãos (Hebreus 2:11b). O Espírito de Deus é chamado de Espírito Santo por Sua nobre missão: tornar-nos santos. Ele é o Portador do Amor Divino derramado no coração purificado do homem, e o vínculo de comunhão não apenas da Trindade, mas igualmente entre Deus e seus filhos.
O Espírito Santo fala somente  àqueles que, com o coração submisso e obediente dão ouvidos a Sua voz.
Permita-me uma pergunta: Você sabe por qual razão obedece? Será por sua própria vontade? Você tem capacidade inata para obedecer? Certamente a maioria responderá com um eloqüente ;Sim,eu consigo obedecer por minha própria vontade. Mas, a verdade é que essa disposição é  simplesmente orgulho e dependência de nós próprios. Ofendemos a Deus ao pensar e agir assim. Apenas o Santo Espírito de Deus, nos tornará obedientes ao Pai. Quando nos colocamos na total disposição de servir a Deus colocando nossas vidas no Altar (Cruz), então o Espírito de Deus toma conta de nossa vida. Nesse momento não estamos sendo obedientes. Apenas nos entregamos ao Espírito Santo e sentimos essa paz a que chamamos de obediência.
“Se ouvirdes hoje a Sua voz” (Hebreus 3:7b). O Espírito Santo diz para não endurecermos o coração (Provérbios 13:12). Todo cristão deve responder imediatamente à voz do Santo Espírito. É um chamado ao descanso na fé para que possamos apossar das promessas divinas. A expressão “não endureçais o coração” significa: nem mesmo o comeceis,ou, não façais uma vez que seja.
John Fletcher definiu assim a perfeição cristã: ” O amor puro de Deus, derramado no coração pelo Espírito Santo que nos é concedido para purificar-nos e manter- nos  limpos de toda imundície da carne e do espírito, habilitando-nos a cumprir a Lei de Cristo, segundo os talentos que nos foram confiados e as circunstâncias em que estamos neste mundo”.
A perfeição cristã é uma benção que todos podem experimentar, porém, a maturidade só vem com o enriquecimento ao longo dos anos. Este é o sentido da palavra de Jesus: ” toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto”( João 15:2b) O “” mencionado aqui se refere ao mesmo caráter de Cristo, a videira. “A mesma coisa pode ser dita dos nove aspectos do “fruto do Espírito” em Gálatas 5:22”.
Aprendamos que a santidade é aperfeiçoada por meio da morte para o pecado. A santidade é composta de duas partes. A primeira – morte para o pecado; e a segunda é progressiva – prática dos valores do Reino ao longo da vida.
“Para mim é pouca coisa ser purificado  de todo o pecado. Quero ficar cheio de toda a plenitude de Deus.”
Este é o meu pensamento e o qual operou inabaláveis transformações em minha vida. Um dia, no meio do chiqueiro ele me quis. Pelo seu Santo Espírito me deu a mão em momentos de perplexidade e me fortaleceu. Conduziu-me à liberdade e guia hoje todos os aspectos de minha vida. Não imagino como seria voltar a viver sem Sua santa presença. Se quisermos a fidelidade de Cristo e a alegria de Sua comunhão devemos render-Lhe o controle de nossa vida, Ele tem de ter presença permanente em nosso ,coração. Ele deve ter acesso a todos os aposentos da Sua casa .
A consagração a Cristo é entregar-Lhe a casa em suas mãos. Ele cuidará melhor do Templo que nós próprios.

Deus abençoe grandemente.

Bp,Luis Sousa
Ministério” Segunda Chance”


Nenhum comentário: