CURRICULO PESSOAL

Minha foto

M.Div
Ph.D Teologia
Psicanalista Clinico (estag)
Escritor - 21 livros publicados
Master-trainer PNL

Postagens populares

sexta-feira, julho 8

PENTESCOSTE, O DESAFIO DA FÉ

PENTESCOSTE, O DESAFIO DA FÉ

Levítico 23:16 x Atos 2:1

Os dois agradecimentos a Deus: Agradecer a deus por uma colheita boa.
Agradecer-lhe porque recordamos que ele nos  libertou, e porque a cada anos recebemos uma
colheita nova. dois agradecimentos que formam  um elo, uma história que nos leva até a promessa  de uma libertação final.
Pentecostes - Levíticos 23:16 versus Atos 2:1, esta uma ligação histórica desconhecida pela
maioria dos cristãos e que tanto ensino nos traz sobre os princípios da Obediência! temos uma
história e uma promessa. Olhamos para trás a fim de lembrar o que Deus fez no passado, e,
olhamos para a frente sobre como manter sua promessa de ser nosso Grande Provedor no
futuro.
Deus instruiu os israelitas acerca do que deveriam  dar ao entrar na Terra Prometida.(Levítico 23:10).  Logo depois eles foram libertados da escravidão do  Egito. Eles estavam na primeira etapa de uma  pequena mas longa viagem. A viagem que poderia  ter durado apenas hum mês prolongou-se por  quarenta anos. Qual o motivo de quatro décadas  no deserto? Apenas o fator: rebelião. Foi  relativamente fácil tirar  os israelitas da escravidão, mas, tornou-se muito difícil tirar a escravidão da  mente dos israelitas.
Quarenta anos corresponde a uma geração bíblica. Aqui encontramos algo memorável - embora Deus  castigasse a geração rebelde, não a abandonou.Continuaria a propiciar direcionamento ( coluna de nuvem de dia, a coluna de fogo à noite), sustento (maná) e até prolongou a vida de suas sandálias. ( Deuteronômio 29:5). Leia o que Deus disse - Levítico 23:9 e seguintes, que parece ter sido dito em algum momento entre Êxodo 19, quando foi outorgada a Lei pela primeira vez. O Deus do A.T. é o mesmo do N.T.que se encarnou em Jesus, o Messias. Suas promessas são para o Corpo da Igreja.
A determinação de que as primícias aconteçam sete  semanas depois da Páscoa judaica (Levítico 23:15 ,Deuteronômio 26:1:11).
A oferta da Primícias não visava apenas dizer  obrigado a Deus por uma colheita. era uma maneira de recordar onde estivemos e para onde Deus nos  trouxe. todos temos uma história de como Deus nos salvou, e de nossa vida depois desse dia.Pentecostes, ou a festa das semanas é a única festividade para a qual Deus ordenou contagem regressiva.
HAG HA SHAVUOT   _   Hag = peregerinação  e Shavuot = festa das semanas. Periodo de sete.

Pentecostes era uma festa de um dia. Uma das três festas que requerem perregrinação.(Êxodo 34:22)«Celebre a festa das semanas na ocasião dos primeiros frutos da colheita de trigo»(Êxodo 34:22)
A Páscoa Judaica expressa gratidão pelos cuidados de Deus durante as andanças no deserto. Pentecostes era o momento de adoração a soberania de Deus. Gratidão não era apenas uma festa, era o dia de devolver algo a Deus. As pessoas agradeciam e doavam. Jesus ensinou: «Dai-nos hoje  nosso pão de cada dia»(Mateus 6:11e Lucas 11:3). Talvez esta oração seja  uma meditação do A.T.As Primicias são mencionadas em vários versículos da Torá(os 5 primeiros livros do A.T. ou Livros de Moisés). Leia também: 2 Cr 31:5; Nee 10:35, 12:14 e 13:31. Tanbém encontramos o mandamento de oferecer Primicias no livro de Ezequiel cap. 20, vs 40 e 44:30,e no livro de Provérbios 3:9s.Pentecostes confere uma proposta maior ao Êxodo: Deus não livrou meramente um grupo de escravos. Deus-lhes sua Palavra e revelou o significado de serem um povo santo.
O período de sete semanas é também chamado de «Tempo de OMER» O propósito em Omer era abençoar esta nação. Ouvindo a Lei e obedecendo, os povos veriam a sabedoria de uma povo que segue o Altíssimo.(Deuteronômio 4:6)
A importância do Omer  originou costumes. alguns lêem  o Salmo 67 no último dia de Omer, porque seus  7 versículos e 49 palavras coincidem com as  7 semanas
Encerrar o Omer com esse salmo é uma forma de memória de que a Redenção não está completa sem a Palavra de Deus. As sete semanas proporcionam a grande lição cristã: Obedecer e esperar o tempo por Deus determinado. As semanas entre a Páscoa judaica e Pentecostes  eram críticas para a produção da terra Se  atendermos a geografia percebemos que Deus plantou Israel em uma terra penosa em termos naturais. O sucesso na agricultura era incerto. Cultivá-la era um exercício de Fé.
 Nessa região era característico que ventos do sul e ventos do norte alternassem sucessivamente. O vento frio do norte é bom para o trigo, porém podia destruir azeitonas e uvas. O vento quente do sul é benéfico para as azeitonas e uvas, porém poderia arruinar o trigo e a cevada.
Deus prometeu bênçãos se houvesse obediência. Podemos imaginar o camponês perdendo o fôlego a cada dia que transcorria, esperando que suas colheitas não fossem arruinadas por uma mudança climática. Era um verdadeiro desafio de Fé. O povo recorria  ao deus da chuva Baal para que chuvas caíssem sobre suas terras para trazer fertilidade. Agora entendemos o significado de Pentecostes - Fé e Honra ao Deus verdadeiro. Essa incerteza poderia levar Israel a se voltar para Baal. Assim acontece em nossa vida, em momentos difíceis podemos ser levados a pedir e acreditar na ajuda dos Baal deste mundo. (Leia: filipenses 4:16Mateus 6:25-33. No livro de Rute encontramos lições sobre o valor das Primícias. O compromisso de Rute deixar sua vida anterior e seguir o Deus de Israel é visto como um paralelo ao compromisso ao sinal para seguir Deus no Monte Sinai. O livro de Rute enumera os ancestrais de Davi que segundo a tradição nasceu e morreu em Pentecostes. lembremo-nos que Deus tem amor a sua criação perdida. Expressa cuidado pelos necessitados, desamparados, órfãos e por meio da plantação alimenta multidões.(leia: Lucas 10:21). A festa de Pentecostes está também ligada à outorga da Lei no Sinai. deus dividiu o mundo em setenta nações diferentes (Genesis 10).Esta predição afirma que quando os setenta  anciãos estavam diante do Monte Sinai representavam não só Israel mas também as setenta nações do mundo.(Gn 12:3).
Atos 2:2 « de repente veio do céu um som, como de um vento muito forte». este dia de Pentecostes foi consumado quando Deus capacitou seu povo a seguir seu destino a fim de abençoar todas as nações do mundo.
Voltemos 15 séculos antes dos eventos de Atos 2, quando a Lei foi entregue a Moisés. (Êxodo 20) Relata que a multidão sentiu medo diante da montanha fumegante, com todos os sons de trovão .Muitas dessa descrições derramam luz adicional sobre aquele dia esperado em Jerusalém do primeiro século. «Um som do céu, como de chifre de carneiro»(AT) e «um som semelhante a um vento muito forte.(NT). Em Êxodo 19:18, nos informa que o Senhor desceu
sobre a montanha envolta em fogo. Analisando a contagem regressiva de Omer pode ser considerada uma metáfora para a contagem regressiva até o retorno do Senhor Jesus. Em João 13 lemos que Jesus usou a Páscoa judaica como ocasião para anunciar que estava partindo (V.33) e para dar aos discípulos um novo mandamento em sua ausência:- de amar uns aos outros,(V.34s). Em Jo 14:6 lemos outra promessa de Jesus de que o Espírito Santo viria e habitaria com seus discípulos depois de sua  partida. Eles não ficariam órfãos. O espirito santo era as Primícias.
As festas bíblicas de Israel foram instituídas para lembrar ao povo de Deus o que ele fez no passado, reconhecer o que está fazendo hoje e termos esperança nos tempos vindouros. O senhor nos deu uma variedade de orientações de como vivermos uma vida santa, e ele nos proporciona força para ter esperança em um dia ainda maior prometido em Apocalipse 7:9. «Depois disso olhei, e diante de mim estava uma grande multidão que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé, diante do trono do Cordeiro».
Deus lhe abençoe grandemente.
                                                   Bispo, Luis Sousa

Nenhum comentário: