CURRICULO PESSOAL

Minha foto

M.Div
Ph.D Teologia
Psicanalista Clinico (estag)
Escritor - 21 livros publicados
Master-trainer PNL

POSTAGENS

Postagens populares

sábado, dezembro 3

Circuncisão: Física e Espiritual

A idéia deste trabalho é trazer luz sobre o tema e esclarecer sua continuidade na Kehilah israelita da Nova Aliança para judeus e seus descendente, esclarecendo que, para os gentios convertidos ao D-us de Israel, o cumprimento desta mitzvah se dá pela fé e por meio de Yeshua e Seu sacrifício sendo, portanto, ambos circuncidados. Todavia, se o interessado não crer nos escritos e documentos da Brit Chadashah (NT)  e não aceitar o tema sob sua ótica, de nada lhe adiantará este estudo!

Quando falamos de circuncisão física, algo mais que natural e óbvio é a aceitação, àparte das Escrituras de que, a remoção do prepúcio, segundo parecer médico, propicia a não incidência de nº chances de infecção por meios externos.

No entanto, em termos de salvação, o argumento de profilaxia se faz irrelevante, haja visto que Yeshua morreu por judeus e gentios, no intento que mediante seu sangue derramado, circuncisos e incircuncisos na carne pudessem  converter-se num único povo remido por Ele..

Gênesis nos faz relato de Abrão que fora circuncidado, tendo removido a carne de seu prepúcio. Não foi porém este ato que trouxe a ele a salvação, mas o posicionou como patriarca, em quem seriam benditas “todas as nações” da terra.

A bênção, porém, não tem vínculo exclusivo com a ordenança da circuncisão, mesmo porque o nosso patriarca alcançou o testemunho de fé quando ainda estava na incircuncisão. Está registrado e aceitamos que, na primeira aliança o gentio que buscasse a Israel para se tornar parte deste, deveria passar pela circuncisão física. Nesta situação, a mesma lei haveria para o estrangeiro como para o natural.


Yeshua e a circuncisão...

A circuncisão não foi e nunca seria visto como algo estranho para Yeshua, contudo, nem por isso foi ordenada ou mesmo sugerida aos gentios por meio de Suas palavras. A citação de João 7: 22- 24 não faz alusão a circuncisão de gentios, mesmo por que ali Yeshua falava com seus irmãos judeus.

Yeshua nunca menosprezou a circuncisão nem tampouco a Torah. No entanto, Isso não sugere que o filho do Eterno haja requerido a remoção do prepúcio dos gentios como forma de confirmação a obediência e salvação.

Deve estar claro que “pregar contra” é bem diferente de “compreender a real interpretação de quaisquer fatos.” 
Por exemplo, quando se buscava apedrejar a prostituta, teria Yeshua pregado contra uma ordem de Moisés?
Ou ainda, quando Yeshua diz que olhar para uma mulher e cobiçá-la no coração já teríamos cometido adultério com ela. Isto não significa que Yeshua mudou a lei!

Os apóstolos e a circuncisão. . .

Atos 15... O Concílio de Jerusalém não determinou que gentios deveriam passar pela circuncisão física, apesar do tema sofrer insistência por parte dos partidários desta idéia, ficou evidenciado que gentios deveriam abster-se da idolatria, prostituição e dos animais sacrificados aos ídolos, ou seja, do que eles eram mais vulneráveis.

Alguns indivíduos que desceram da Judéia ensinavam aos irmãos: Se não vos circuncidardes segundo o costume de Moisés, não podeis ser salvos.
Tendo havido, da parte de Paulo e Barnabé, contenda e não pequena discussão com eles, resolveram que esses dois e alguns outros dentre eles subissem a Jerusalém, aos apóstolos e presbíteros, com respeito a esta questão."

O texto expõe de forma clara que os indivíduos defensores da circuncisão física para os gentios detinham este preceito como um fator de salvação, mas também temos aqui que Paulo e Barnabé contendiam com eles. Paulo como israelita era bem conhecedor do preceito da circuncisão, mas a contenda ocorria em função da errônea interpretação daqueles que defendiam a morte espiritual dos incircuncisos!

Em Jerusalém, os partidários da circuncisão física  para os gentios que se achegavam faziam pressão no sentido de que gentios estivessem obrigados ao processo pelo quais como "judeus" estes outrora passaram.

Mas, assim como Paulo e Barnabé, também Pedro deixou explícita sua posição quanto a estes fatos:

"Havendo grande debate, Pedro tomou a palavra e lhes disse: Irmãos, vós sabeis que, desde há muito, Deus me escolheu dentre vós para que, por meu intermédio, ouvissem os gentios a palavra do evangelho e cressem.
8  Ora, Deus, que conhece os corações, lhes deu testemunho, concedendo o Espírito Santo a eles, como também a nós nos concedera.
9  E não estabeleceu distinção alguma entre nós e eles, purificando-lhes pela fé o coração.
10  Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais puderam suportar, nem nós?
11  Mas cremos que fomos salvos pela graça do Senhor Jesus, como também aqueles o foram." (Atos 15...)

O apóstolo Pedro em nenhum momento de seu direcionamento aos gentios demandou deles a circuncisão como confirmação de aceitação de Messias e para o Messias, mas define em sua palavra que distinção alguma existia entre judeus e gentios, e mais, mediante a graça de Yeshua ambos estavão em condições de salvação. E como já sabemos que o tema aqui em questão era a circuncisão física.

Nas mesmas palavras de Pedro, em outra consideração o apóstolo expõe seu entendimento:

"Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas;" (Atos 10: 34)

Natural seria alguém argumentar que o contexto acima não fala da circuncisão, mas este tem o fim de salientar que o poder de Deus manifesto na vida de Cornélio era o necessário testemunho para aceitação deste gentio dentro do povo. No entanto, observe o comentário exposto a seguir:

"Quando Pedro subiu a Jerusalém, os que eram da circuncisão o argüiram, dizendo:
Entraste em casa de homens incircuncisos e comeste com eles." (Atos 11: 2,3)

A incircuncisão na vista destes israelitas da Congregação gerava imensa barreira entre ambos (goym e israelitas naturais) chegando a ponto de serem considerados indignos da visita do apóstolo Pedro. Mas quem deu instruções necessárias a Pedro foi o Eterno, por meio de um anjo e este nada mencionou sobre necessidade de circuncisão!

Os fiéis da circuncisão (judeus), testemunhas que tomou Pedro consigo para que verificassem a aceitação de um gentio a ser inserido no povo, ficaram admirados, pois o Espírito Santo igualmente aos gentios houvera concedido pelo Eterno, assim como no dia de Pentecostes derramado entre os israelitas. (Atos 10:45; Atos 11: 12)

Sendo assim, quando Pedro diz que o Eterno não faz acepção de pessoas, o que na verdade tinham em mente? Que tipo de repulsa poderia existir senão a questão da circuncisão predominante entre o nosso povo judeu?

O que faltava a Cornélio era receber Yeshua como Salvador, pois já cria no nosso único D-us e receber neste nome o batismo para remissão de pecados, e assim se tornar parte da Kehilah e do povo. 
No decorrer, a Kehilah aceitou o ingresso dos gentios, sem destes cobrar a circuncisão física. Em momento algum ficou entendido que Cornélio teria que mais tarde, se submeter à circuncisão da carne.  Devemos entender que, assim como todos os mandamentos referentes aos serviços de sacrifícios que demandavam derramamento de sangue encontraram seu cumprimento no sacrifício de Yeshua, feito uma vez por todas, igualmente nEle os gentios convertidos são circuncidados com a circuncisão do coração:

"... no qual também estais circuncidados com a circuncisão não feita por mão no despojo do corpo da carne: a circuncisão de Cristo." (Colossenses 2:11) 

Fica claro, portanto, que o gentio convertido e submetido ao batismo, não é mais um incircunciso, mas um circunciso em Yeshua e sendo, desta forma, um israelita! Este não pode se achar incircunciso, pois se assim o confessar, prova que não creu e nem crê em Yeshua e na Nova Aliança!

Concílio em Jerusalém

Quanto ao problema do Concílio de Jerusalém, o necessário para os gentios que creram foi lhes exposto nas seguintes providencias:

"Quanto aos gentios que creram, já lhes transmitimos decisões para que se abstenham das coisas sacrificadas a ídolos, do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas."  (Atos 21: 25)

Paulo ou Pedro jamais foram contra a lei e isto ressaltamos: no entanto, não impuseram a circuncisão física como condição de entrada dos gentios à Kehilah e como integrantes da oliveira.

Pelo contrário, Paulo aprova  a circuncisão de Timóteo, considerando que este era filho de mulher judia. (Atos 16:1- 4)

Por outro  lado, temos Tito, um grego que não fora constrangido a circuncidar-se:

"Contudo, nem mesmo Tito, que estava comigo, sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se." (Gal. 2: 3)

"Com efeito, antes de chegarem alguns da parte de Tiago, comia com os gentios; quando, porém, chegaram, afastou-se e, por fim, veio a apartar -se, temendo os da circuncisão." (Gal. 2: 12)

A insistência na circuncisão para os gentios causava um verdadeiro afastamento dos gentios e receio incomodo até mesmo para aqueles que já compreendiam que D-us não faz acepção de pessoas e concede Seu Espírito também aos que seriam abençoados em Abraão por meio de Yeshua e não mediante o ato físico da circuncisão.

Não haveria de ser desfeita esta barreira em nenhum momento?   vejamos Rom. 2

"Se, porém, tu, que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus;
18  que conheces a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído na lei;
19  que estás persuadido de que és guia dos cegos, luz dos que se encontram em trevas,
20  instrutor de ignorantes, mestre de crianças, tendo na lei a forma da sabedoria e da verdade;
21  tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas?
22  Dizes que não se deve cometer adultério e o cometes? Abominas os ídolos e lhes roubas os templos?
23  Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei?
24  Pois, como está escrito, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por vossa causa.
25  Porque a circuncisão tem valor se praticares a lei; se és, porém, transgressor da lei, a tua circuncisão já se tornou incircuncisão.
26  Se, pois, a incircuncisão observa os preceitos da lei, não será ela, porventura, considerada como circuncisão?
27  E, se aquele que é incircunciso por natureza cumpre a lei, certamente, ele te julgará a ti, que, não obstante a letra e a circuncisão, és transgressor da lei.
28  Porque não é judeu quem o é apenas exteriormente, nem é circuncisão a que é somente na carne.
29  Porém judeu é aquele que o é interiormente, e circuncisão, a que é do coração, no espírito, não segundo a letra, e cujo louvor não procede dos homens, mas de Deus." (Rom. 2: 17- 29)

Estes versos denotam com extrema clareza que a circuncisão física já na Nova Aliança não seria aplicada a um gentio, no entanto, ainda persistia como rixa de alguns dos membros judeus em relação aos gentios que se achegavam. O apóstolo expõe que o gentio observador dos preceitos da lei (aqui não está incluso a circuncisão) será tido por circunciso, mas não na carne, no exterior, e sim a verdadeira que está no coração.

O apóstolo Paulo pregava a circuncisão e mesmo assim era perseguido pelos de seu próprio povo, mas em função de que?

"Eu, porém, irmãos, se ainda prego a circuncisão, por que continuo sendo perseguido?..." (Gal. 5: 11)

É mais que evidente que alguns membros judeus extremamente apegados apegados à letra não desejavam abrir espaço para os gentios por não entenderem o real sentido de ter lei no coração e contradiziam a  Paulo, apóstolo direcionado dos gentios. 

Romanos 3...

"1 Qual é, pois, a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão?
2                     Muita, sob todos os aspectos. Principalmente porque aos judeus foram confiados os oráculos de Deus."

Quando Paulo enaltece o judeu e a utilidade da circuncisão está explicitamente recomendando-a para os gentios? Não, de nenhuma forma.

"Que se conclui? Temos nós qualquer vantagem? Não, de forma nenhuma; pois já temos demonstrado que todos, tanto judeus como gregos, estão debaixo do pecado;" (verso 9)

"...pois todos pecaram e carecem da glória de Deus,
24  sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus,
25  a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos;... É, porventura, Deus somente dos judeus? Não o é também dos gentios? Sim, também dos gentios,
30  visto que Deus é um só, o qual justificará, por fé, o circunciso e, mediante a fé, o incircunciso." (versos 24, 25, 29 e 30)

Observe atentamente que tanto judeus quanto gentios são colocados no mesmo patamar em relação ao pecado e ambos foram gratuitamente justificados para a salvação gratuitamente, não pela circuncisão física, mas por graça, nos méritos do Senhor Yeshua.

Atente para o final do verso 30 e veja de que forma é justificado o judeu...e de que forma é justificado o gentio. Por fé! O gentio não tem necessidade de ter a marca de um judeu na carne para ser justificado. D-us é D-us de ambos, mas a justiça da salvação vem pela fé e graça.
Fica simples entender assim quando diz o mesmo apóstolo que circuncisão nada é e incircucisão é nada, mas sim o judeu que tem o Eterno no coração e não na interpretação desta marca física como necessária ao gentio.


Romanos 4...

"bem-aventurado o homem a quem o Senhor jamais imputará pecado.
9 Vem, pois, esta bem-aventurança exclusivamente sobre os circuncisos ou também sobre os incircuncisos? Visto que dizemos: a fé foi imputada a Abraão para justiça.
10  Como, pois, lhe foi atribuída? Estando ele já circuncidado ou ainda incircunciso? Não no regime da circuncisão, e sim quando incircunciso.
11  E recebeu o sinal da circuncisão como selo da justiça da fé que teve quando ainda incircunciso; para vir a ser o pai de todos os que crêem, embora não circuncidados, a fim de que lhes fosse imputada a justiça,
12  e pai da circuncisão, isto é, daqueles que não são apenas circuncisos, mas também andam nas pisadas da fé que teve Abraão, nosso pai, antes de ser circuncidado.
13  Não foi por intermédio da lei que a Abraão ou a sua descendência coube a promessa de ser herdeiro do mundo, e sim mediante a justiça da fé.
14  Pois, se os da lei é que são os herdeiros, anula-se a fé e cancela-se a promessa,"
Por que a fé foi imputada a Abraão quando ainda estava na circuncisão? A resposta é óbvia: Deus esperava de seu povo, além da marca de povo, algo presente e marcado em definitivo em seu coração, como ele encontrou em nosso pai Abraão!

Para que nenhum israelita fizesse acepção e entendesse que gentios ou incircuncisos como são chamados, fossem tidos como indignos da justificação mediante a fé!

A justiça da fé provê a promessa, não a circuncisão deve ser a causa da promessa.(verso 13)

A circuncisão que recebeu nosso patriarca vem como selo para que fosse pai de multidão de nações (circuncisos e não...(verso 11)) e para que por meio de seu testemunho, os gentios convertidos pudéssem receber em Yeshua mediante a circuncisão do Mashiach as promessas da bem aventurança. Isto vem da justiça mediante a féi. Desta forma, justiça lhes é imputada.

A circuncisão física não ativa méritos de salvação, mas provê condições ao patriarca para que fosse pai dos judeus e os identificasse segundo o vínculo carnal. Daí porque judeus e descendentes podem e devem manter esta prática.. O ato não salva ou condena, não cumpre estes objetivos!

Conforme expõe o apóstolo, apegar-se a lei como instrumento de justiça para fins de salvação acaba por anular a fé, mediante a qual somos salvos em Yeshua.  Isto fica compreensível, pois Abraão foi testemunha de viva fé quando ainda na incircuncisão. Mais uma vez: Abrão não foi circuncidado para ser salvo, mas para ser pai, e sendo pai de circuncisos e não circuncisos, mediante a fé e revestimento em Yeshua receberemos a promessa.

"Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida." (Rom. 5: 18)



I Coríntios 7...

Para fins de esclarecimento apenas. O apóstolo não ordena o celibato, mas adverte quanto à necessidade de distanciamento da impureza. No entanto, melhor nos atermos ao tema proposto.

"Foi alguém chamado, estando circunciso? Não desfaça a circuncisão. Foi alguém chamado, estando incircunciso? Não se faça circuncidar.
19                  A circuncisão, em si, não é nada; a incircuncisão também nada é, mas o que vale é guardar as ordenanças de Deus."

Diz o apóstolo que o que vale é guardar as ordenanças de D-us! Mas, por que então quem está incircunciso não necessita da circuncisão física? Não é ordenança?

São justificados mediante a fé e salvos por Yeshua na aceitação de Sua morte sacrificial e remissão de pecados em Seu nome pelo batismo. Pela obediência e vida exemplar diante da Torah, demonstram sua circuncisão invisível fisicamente. , É isto que explica os versos finais de Romanos 2. 

Gálatas 2...

"Contudo, nem mesmo Tito, que estava comigo, sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se.
3                     E isto por causa dos falsos irmãos que se entremeteram com o fim de espreitar a nossa liberdade que temos em Cristo Jesus e reduzir -nos à escravidão;"

Tito não fora circuncidado e estava na companhia de Paulo. O versos 3 a 5 nos dão conta que alguns (como da seita dos fariseus talvez) israelitas insistiam na necessidade da circuncisão e desvirtuavam o real sentido do sacrifício de Yeshua.

O apóstolo Pedro direcionou sua missão no sentido de atingir os da circuncisão, enquanto o apóstolo Paulo e Barnabé já se dedicavam na instrução dos gentios.

"...pois aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da circuncisão também operou eficazmente em mim para com os gentios)
9  e, quando conheceram a graça que me foi dada, Tiago, Cefas e João, que eram reputados colunas, me estenderam, a mim e a Barnabé, a destra de comunhão, a fim de que nós fôssemos para os gentios, e eles, para a circuncisão;
10  recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também me esforcei por fazer." (versos 8- 10)

Reconhecida esta aptidão em Paulo, as recomendações entregues da parte de Tiago, Pedro e João no que tange aos gentios não faz menção de advertência quanto à necessidade de circuncisão física para os gentios, mas uma atenção especial aos pobres. Vale reforçar que estes apóstolos eram considerados da circuncisão! Mas, não a recomendaram aos gentios.

Inimizade entre judeus e gentios....

Observe mais uma vez o que a insistência por parte de alguns judeus para que gentios sofressem a circuncisão provocava:

"Quando, porém, Cefas veio a Antioquia, resisti -lhe face a face, porque se tornara repreensível.
12  Com efeito, antes de chegarem alguns da parte de Tiago, comia com os gentios; quando, porém, chegaram, afastou-se e, por fim, veio a apartar -se, temendo os da circuncisão.
13  E também os demais judeus dissimularam com ele, a ponto de o próprio Barnabé ter-se deixado levar pela dissimulação deles.
14  Quando, porém, vi que não procediam corretamente segundo a verdade do evangelho, disse a Cefas, na presença de todos: se, sendo tu judeu, vives como gentio e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus?" (versos 11- 14)

O texto é bem claro quanto às controvérsias que a circuncisão causava. Quando Cefas(Pedro) veio a Antioquia, o apóstolo Paulo o resistiu. Por que razão??

Porque embora comesse com os gentios, ao chegarem alguns da parte de Tiago, com receios de repulsa e condenação por parte dos circuncisos, Pedro afastou-se dos gentios. Isto gerou certa indignação ao apóstolo Paulo que o advertiu e até mesmo Barnabé sofreu tendências para a acepção dos incircuncisos.

Mas, como definiu o apóstolo Paulo esta atitude?

"..vi que não procediam corretamente segundo a verdade do evangelho, disse a Cefas, na presença de todos..."

Não está claro que este tema e a insistência em circuncidar gentios na nova aliança acabava por criar uma barreira entre israelitas e gentios? Sem dúvida, e esta barreira deveria ser derrubada em definitivo!

"sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois, por obras da lei, ninguém será justificado.... Não anulo a graça de Deus; pois, se a justiça é mediante a lei, segue-se que morreu Cristo em vão." (versos 16, 21)

A lei a que faz referência o apóstolo é evidente que é uma referencia ao mandamento da circuncisão física, argumento ineficaz dos implicantes circuncisos para colocarem os gentios como inoportunos no contexto de justiça e salvação.

O apóstolo Paulo deixa claro novamente: A justiça é manifesta mediante a fé no Mashiach! Outro de meio de impetrar a justiça acabaria por anular o propósito da morte sacrificial de Yeshua.


Gálatas 3...

"É o caso de Abraão, que creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça.  Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão."(versos 6, 7)

Abraão creu no Eterno e isso lhe foi imputado por justiça, antes da circuncisão. Como temos dito e considerado, a circuncisão lhe foi feita para que fosse pai de multidão de nações, mas não como sinal de salvação, pois a salvação está nos méritos do Mashiach.

"É, porventura, a lei contrária às promessas de Deus? De modo nenhum! Porque, se fosse promulgada uma lei que pudesse dar vida, a justiça, na verdade, seria procedente de lei." (verso 21)

Paulo expõe que a lei não é contra as promessas de Deus, contudo, aqueles que demandavam a circuncisão física dos gentios, de forma indireta admitiam que a justiça e vida estavam vinculadas a lei. Isto era equívoco!
"porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes.
28  Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.
29  E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa." (versos 27- 29)

O batismo no Mashiach nos coloca como herdeiros da promessa. Nos faz um, onde não há judeu ou grego. Sendo assim, o batismo não só nos redime dos pecados, como também nos coloca como participantes de um povo único, descendentes de Abraão. A obra desta união é oriunda da fé no Mashiach, e não da circuncisão física!

Que barreira portanto teria Yeshua desfeito? Que inimizade ele matou?

Gálatas 4:29 o apóstolo nos diz que os da carne perseguiam aqueles que eram do Espírito. E a obra de Yeshua lhes era incompreensível...

A circuncisão não perdoa pecados e o voto de fidelidade do pai de um macho de 8 dias não poderia confirmar e impetrar justiça na criança.

O batismo porém, não somente testemunha a fé de quem o recebe, também traz a remissão dos pecados, revestimento de Cristo, circuncisão de coração e nos faz todos filhos de Abraão.


Gálatas 5...

‘Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão. Eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará." (versos 1, 2)

Não parece difícil compreender o que causava a circuncisão quando imposta como dever dos gentios...Cristo de nada vos aproveitará...

O verso 4 diz que esta atitude para com os gentios não nos une, mas separa de Cristo! E o verso 6 diz que vale a fé, que pelo amor atua.

"Esta persuasão não vem daquele que vos chama." (verso 8)

"Eu, porém, irmãos, se ainda prego a circuncisão, por que continuo sendo perseguido? Logo, está desfeito o escândalo da cruz." (verso 11)

A insistência em que gentios seriam justificados pela obra da lei  (No caso, a circuncisão)colocava os persistentes como não servos do Eterno. Até mesmo Paulo sofria (crendo na lei), por que seus irmãos o perseguiam quando Paulo aplicava sua interpretação lógica de que a justiça não era mediante obras da circuncisão, mas mediante Yeshua em Sua obra redentora.

Porque toda a lei se cumpre em um só preceito, a saber: Amarás o teu próximo como a ti mesmo." (verso 14)


Gálatas 6...


Yeshua seria o único meio de desfazer barreiras e quebrar o endurecimento com Seu ato de amor na cruz.

"Vede com que letras grandes vos escrevi de meu próprio punho.
12  Todos os que querem ostentar-se na carne, esses vos constrangem a vos circuncidardes, somente para não serem perseguidos por causa da cruz de Cristo.
13  Pois nem mesmo aqueles que se deixam circuncidar guardam a lei; antes, querem que vos circuncideis, para se gloriarem na vossa carne.
14  Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo.
15  Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura." (versos 11- 15)

Paulo procurou deixar evidente a inoperância da circuncisão física para fins de salvação, que somente gloriava o israelita na carne, mas, por outro lado, negava o sacrifício do Mashiach. Afirma que o propósito do israelita estava em CONSTRANGER os gentios uma suposta glória dentro da nova aliança. Em letras grandes o apóstolo registrava seu parecer racional e verdadeiro. Em função disto, este servo do Senhor por muito foi perseguido pelos da própria nação.

"E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas." (II Cor. 5: 17) E estamos em Cristo mediante o batismo! (Gal. 3:22-25)

Agora você pode traçar um paralelo entre Gálatas 6: 12 com este verso acima. A circuncisão imposta, ao invés de enaltecer a obra de Yeshua, acabava por fazer vão o propósito de Seu sangue derramado na cruz, e Seu plano eficaz de unir num só povo os que andavam dispersos, como dissera Caifás.


Efésios 2...

" Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados," (verso 1)

Em Yeshua, nosso Senhor, encontramos a vida. Éramos escravos e nEle encontramos a redenção; pecadores e nEle encontramos a remissão. Inimigos e nEle encontramos a reconciliação. Devedores, mas nEle encontramos a justificação.

"Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;
9         não de obras, para que ninguém se glorie." (versos 8, 9)

Há pouco consideramos nas palavras de Paulo aqueles que temiam o evangelho de Cristo e buscavam gloriar-se na carne, forçando os gentios a que se circuncidassem. Aqui temos que a salvação é mediante o testemunho de fé no Mestre e Filho do Eterno e não decorrente de nossas obras.

"Portanto, lembrai-vos de que, outrora, vós, gentios na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, por mãos humanas,
12  naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo.
13  Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo.
14 ¶ Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade,
15  aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,
16  e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade." (versos 11- 16)

Os chamados gentios na carne, incircuncisos ou considerados indignos da aproximação com o povo do Eterno, através de Cristo Jesus foram aproximados. Não foi a circuncisão física que gerou proximidade, aliás, ela criou desentendimentos! Era motivo de contenda e indignação e os que nela insistiam para com o gentio, davam na realidade mostras de seus temores quanto ao evangelho de Cristo e estéril entendimento dos planos de quanto aos abençoados em Abraão!

Paulo diz que Cristo é a nossa paz, não a circuncisão! Ele, Yeshua, derribou a parede que separava o gentio do povo do Eterno. Ele aniquilou a inimizade e criou dos dois um novo homem, e Ele reconciliou ambos em um só corpo. A glória está na obra redentora, reconciliadora e salvadora de Yeshua, como se diz: "por intermédio da cruz". Assim entendemos nós, como assim o anunciava nosso amado apóstolo Paulo.

Em tudo o que temos tratado até o momento observa-se que alguns faziam da  circuncisão física um grande entrave na junção entre israelitas naturais e aqueles que mediante a fé e circuncisão espiritual, seriam enxertados na oliveira!

Em Yeshua somos um. (Gal. 3: 28) A glória seja dada ao Eterno que propiciou por Seu Filho a unidade de Seu povo!!


Colossenses 3...

"Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.... e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou;
10                  no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos." (versos 1, 10, 11)

A salvação está nos méritos de Yeshua e não vem da circuncisão física! Paulo nos ensina que somos revestidos de Cristo, que é a nossa vida, mediante o batismo. Nesta condição não se distingue pela circuncisão um judeu ou gentio, nem tampouco seria um mais privilegiado que o outro. As inimizades foram desfeitas e o plano de abençoar nações em Abraão se cumpre em UM novo homem (feito de dois) mediante a cruz, pois o Mashiach é TUDO em todos.

Filipenses 2...


"Acautelai-vos dos cães! Acautelai-vos dos maus obreiros! Acautelai-vos da falsa circuncisão!
3  Porque nós é que somos a circuncisão, nós que adoramos a Deus no Espírito, e nos gloriamos em Cristo Jesus, e não confiamos na carne.
4 ¶ Bem que eu poderia confiar também na carne. Se qualquer outro pensa que pode confiar na carne, eu ainda mais:
5  circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu,
6  quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível.
7  Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo."

Irmãos, a glória não está na carne, O Eterno fala da lei no coração. O apóstolo se dirigia aos Filipenses e estes não eram israelitas na carne, contudo, mesmo assim se dirige a eles e lhes diz "Nós somos a circuncisão!", não confiamos na carne!"

Nem mesmo Paulo exalta a circuncisão nos moldes dos seus oponentes, embora circuncidado ao oitavo dia. Ao contrário, chama os filipenses de irmãos e verdadeira circuncisão. Aquilo que poderia a ele parecer lucro, por perda reputou por causa de Cristo!!

Aos chamados para a verdade cabe a aceitação de Yeshua e Seu sacrifício em prol de um só povo, não inimigos, mas unidos no propósito do verdadeiro evangelho.


"no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos." (Col 3: 11)

Ao concluir, resumimos que ninguém na Nova  Aliança foi contra a continuidade da circuncisão física para os descendentes na carne do pai Abraão pela questão do pacto, mas devemos evidenciar que o Eterno sempre esperou de seus filhos, a circuncisão do coração. Shaul Há Shaliach provou que não era contra a circuncisão dos judeus e seus filhos como queriam alguns inimigos de Yeshua, para terem de que o incriminar.

"Ouvindo-o, deram eles glória a Deus e lhe disseram: Bem vês, irmão, quantas dezenas de milhares há entre os judeus que creram, e todos são zelosos da lei; e foram informados a teu respeito que ensinas todos os judeus entre os gentios a apostatarem de Moisés, dizendo-lhes que não devem circuncidar os filhos, nem andar segundo os costumes da lei." (Atos 21:20, 21)

"Quis Paulo que ele fosse em sua companhia e, por isso, circuncidou-o por causa dos judeus daqueles lugares; pois todos sabiam que seu pai era grego." (Atos 16:3 )

Comparecendo este, rodearam-no os judeus que haviam descido de Jerusalém, trazendo muitas e graves acusações contra ele, as quais, entretanto, não podiam provar." ( Atos 16:30)

Caso, pois, tenha eu praticado algum mal ou crime digno de morte, estou pronto para morrer; se, pelo contrário, não são verdadeiras as coisas de que me acusam, ninguém, para lhes ser agradável, pode entregar-me a eles. Apelo para César." (Atos 25:11)

"Três dias depois, ele convocou os principais dos judeus e, quando se reuniram, lhes disse: Varões irmãos, nada havendo feito contra o povo ou contra os costumes paternos, contudo, vim preso desde Jerusalém, entregue nas mãos dos romanos." (Atos 28:17)

Se Paulo fosse contra a lei, certamente teria sido morto. Portanto, para os gentios ele apresentou a circuncisão em Yeshua. Desta forma, tanto judeus como gentios convertidos, ambos eram visto como circuncidados e devem se considerar assim: como CIRCUNCIDADOS!

Conclusão!

Entendemos que muitos mandamentos da Torah não cumpridos pelo povo judeu hoje, como os mandamentos de sacrifícios de sangue que exigem o Templo e que são indispensáveis para a remissão dos pecados, nós os cumprimos plenamente, pelo sacrifício e pelo sangue do Cordeiro Yeshua.

Igualmente, o mesmo acontece com os gentios convertidos: Estes recebem a circuncisão de Yeshua, no ato da tevilah em Seu nome, a circuncisão do coração, tendo a lei divina em seus corações somo predisse Jeremias 31:31-34 e Paulo aos romanos 2. Isto é manifesto pelas obras de obediência à Torah!
Os judeus e seus descendentes recebem ambas as circuncisões, tanto a física, quanto a espiritual por Yeshua (razão porque também devem ser batizados), sem problema algum.
Agora, diante de todos este esclarecimento e dos textos constantes no chamado NT, o gentio para querer a circuncisão física terá que admitir que não crê nestes escritos (NT) e arcar com a responsabilidade e risco de estar rejeitando a Yeshua.

Circuncisão: Os membros da Congregação que tem ascendência judaica e que optarem pela circuncisão física em função do pacto abraâmico, devem procurar a liderança da CINA para a análise e encaminhamento. Não devem tomar decisões por conta própria.

Esclarecimento útil: Procurar médico, clínica ou hospital e submeter-se a uma operação de fimose, não é aceito e nem tem qualquer validade como circuncisão!

Ficamos com esta final citação em nossos corações. Yeshua, o Mashiach é tudo e nEle todos (Judeus e Gentios) somos de fato Um.

Nenhum comentário: